ORQUESTRA CRIATIVA DE SANTA MARIA DA FEIRA
Gamaleão de Plástico

Inspirado no instrumento milenar da cultura Indonésia, o Gamelão de Plástico é no festival palco de uma improvisação única: ao público é dada oportunidade de explorar e tocar alguns dos instrumentos que compõem este coletivo.
Graças aos tubofones, criados para este gamelão, feitos de tubos e garrafas de plástico, afinados para serem executados em conjunto, é dada a oportunidade a qualquer pessoa de fazer parte desta experiência singular. Aliás, a simplicidade com que permite fazer música, sempre de forma coletiva, facilita a exploração deste conjunto de instrumentos por pessoas com ou sem conhecimentos musicais.
Uma primeira versão do Gamelão de Plástico foi apresentada em 2014, no festival Imaginarius, sob a forma de concerto e parada, no âmbito do projeto Orquestra Criativa. Mas, este instrumento coletivo tem inúmeras possibilidades e, pode apresentar-se com diferentes formatos.

ORQUESTRA CRIATIVA DE SANTA MARIA DA FEIRA


É um projeto de base comunitária protagonizado por diferentes comunidades, músicos e não músicos de todas as idades.
Surge em 2008, e no seu percurso já envolveu mais de 10.000 participantes, entre habitantes locais, e artistas nacionais e internacionais convidados, em projetos coletivos e performativos fora de série.

FICHA ARTÍSTICA


Direção artística e conceito de Gamelão de Plástico: Aleksandar Caric Zar
Design de Instrumentos Musicais: Jean Marc Dercle
Construção de Instrumentos Musicais: Jean Marc Dercle, Aleksandar Caric Zar e elementos da Orquestra Criativa
Música Original: Orquestra Criativa de Santa Maria da Feira
Interpretação: Crianças e jovens das escolas do Concelho de Santa Maria da Feira, Séniores de IPSS´s do Concelho de Santa Maria da Feira, Grupo de Expressão da CerciFeira, Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas, Vânia Lopes, solista vocal
Apoio: Pelouro da Educação, Desporto e Juventude e Divisão de Ação Social e Qualidade de Vida da CMF; Associação Orquestra e Banda Sinfónica de Jovens de SMF; Cooperativa Casa dos Choupos - CRL; FAPFeira – Federação das Associações de Pais e Encarregados de Educação do Concelho de SMF
Agradecimentos: Albano Gonçalves, Diana Carneiro, Diogo Divagações, Orquestra Juvenil da Banda Musical de São Tiago de Lobão; Pedro Almeida, Rocco Di Bernardo

O LUGAR DE TODAS AS HISTÓRIAS
Teatro Quadrilha

Aqui o Tempo mostra que também pode ser um lugar, um lugar cheio de encanto onde as histórias viajam, de lá para cá e de cá para lá! Será que estes lugares existem? Será que queres que eles existam? Só depende de ti e dos teus sonhos, da tua imaginação...
Tendo por base o Teatro Físico/ Pantomima, um viajante conta as suas aventuras e desventuras recorrendo ao público para lhe validar estes momentos. Através de um livro Pop Up, revela um novo cenário tridimensional a cada viragem de página, envolvendo-nos em diferentes dimensões espaciais. Tanto enfrentamos uma feroz tempestade no oceano que nos obriga a remar contra a maré, como somos deslumbrados com a serenidade do canto das sereias ou damos por nós a combater um terrível dragão! Estes momentos são acompanhados por sonoplastia que confere monumentalidade à tão imaterial imaginação. Todo o espetáculo é um exercício de criatividade para quem assiste, somos chamados a descodificar sensações muitas vezes antagónicas, de serenidade ou sobressalto, de medo ou de vitória.


FICHA TÉCNICA


Encenação: Quadrilha
Interpretação: Fernando Leiras
Direção de Ator: Pedro Lino
Cenografia: Carla Palhares e Rita Pinto
Figurinos: Alice Tavares
Edição de Som: Marco Santos e Guilherme Henriques
Sonoplastia: Marco Santos
Fotografia: Guilherme Henriques
Apoio: Espaço Criasonhos

Duração: aprox. 25min

Classificação etária: Todas as idades

AREIAS
Imaginar do Gigante

A menina bordava os nomes dos camelos debaixo das montanhas, onde o ouro se dilatava em fios de água coloridos. Delicadamente, extraía das areias um tesouro submerso que os seus antepassados guardaram. Alquimista, destilava na abóbada celeste cores que navegavam o espaço em liberdade.
E pouco a pouco, os seus olhos abraçavam de cor todo o mar de areias.
Teatro de Formas Animadas e Multimédia a partir das artes plásticas, utilizando técnicas de manipulação de materiais diversos para construção de formas e imagens em movimento.
Um teatro visual, poético e contemplativo, sobre as cores que unem a Terra.

FICHA ARTÍSTICA


Direção e manipulação: Pedro Saraiva
Música: Daily Misconceptions
Origami: Elsa Martinho
Fotografia de cena: Mário Costa
Cenografia: Carla Rosário, André Dias e Pedro Saraiva
Illustração e design: Anabela Dias
Produção: Imaginar do Gigante
Classificação etária: M/4
Duração: aproximadamente 40 minutos

ESTRUTURA FINANCIADA